terça-feira, 1 de março de 2011

SUBSÍDIO DA LIÇÃO 10 06/03/2011

SUBSÍDIO DA LIÇÃO 10 DE 06 - 03 -2011 - O EVANGELHO PROPAGA-SE ENTRE OS GENTIOS.


INTRODUÇÃO
1. Olhando para os capítulos iniciais do livro de Atos, podemos perceber que o Evangelho estava sendo pregado somente aos judeus, centralizados em Jerusalém sob o comando dos doze apóstolos. Havia como que um preconceito contra os outros povos, chamados de gentios.
2. Porém, no capítulo 10 deste mesmo livro de Atos, alvo de nossa palavra nesta noite, podemos observar que Deus dirigiu os fatos no sentido de que a proclamação do Evangelho de Jesus chegasse a Cesaréia, e alcançasse um grupo de estrangeiros, tendo à frente o centurião romano Cornélio.
a. Antes destes fatos, Filipe, um dos sete homens escolhidos para servirem à mesa das viúvas, conforme registra o capítulo 6, já havia pregado a gentios em Samaria, com resultados extraordinários, e ganhara para Jesus na estrada de Gaza, um alto funcionário do reino da Etiópia. Cornélio e o etíope, embora não fossem judeus, temiam o Deus dos Céus, e buscavam a salvação.
b. De qualquer maneira, entretanto, a Igreja se encaminhava aos poucos para a frente, libertando-se do exclusivismo judaico, abrindo-se para a evangelização do mundo.
2. O apóstolo Pedro está no centro dos acontecimentos deste capítulo, e isso é bom. Por ser ele extremamente cuidadoso na aproximação dos não-judeus, os judaizantes, que era um grupo de judeus que forçava dentro das igrejas cristãs a prática dos costumes judaicos, tinham-no como um líder.
a. Podemos ver que em Antioquia, Paulo necessitou repreendê-lo em razão de seu comportamento dúbio, Gl 2.11-14, "11 E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. 12 Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. 13 E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação".
b. No caso de Cornélio, quando Pedro foi a Jerusalém relatar os fatos acontecidos em Cesaréia, sentiu a necessidade de levar alguns irmãos, talvez para o ajudarem nas justificativas perante á Igreja, At 11.1-18.
3. Olhado para o texto lido vamos ver nesta noite quais são as "VERDADES NELE CONTIDAS":

I - CORNÉLIO, MESMO SENDO UM GENTIO, BUSCA A SALVAÇÃO, O QUE NOS MOSTRA QUE TODOS TEM ACESSO À GRAÇA DE DEUS
At 10.1-8, "1 E havia em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana, 2 Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus. 3 Este, quase à hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio. 4 O qual, fixando os olhos nele, e muito atemorizado, disse: Que é, Senhor? E disse-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus; 5 Agora, pois, envia homens a Jope, e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro. 6 Este está com um certo Simão curtidor, que tem a sua casa junto do mar. Ele te dirá o que deves fazer. 7 E, retirando-se o anjo que lhe falava, chamou dois dos seus criados, e a um piedoso soldado dos que estavam ao seu serviço. 8 E, havendo-lhes contado tudo, os enviou a Jope".
1. Em Cesaréia, sede do governo romano para a região da Palestina, vivia o centurião Cornélio. A coorte era um regimento do exército romano que correspondia à décima parte de uma legião. Como uma legião era composta de 6.000 soldados, os soldados que estavam sob o comando de Cornélio perfazia um total de 600.
a. Esse militar não praticava a idolatria, mas temia o Deus dos judeus. Abominava a pluralidade de deuses, a imensidão de ídolos e a imoralidade da religião de seu povo. Conhecendo o judaísmo, adotou-o. O judaísmo era a única religião daqueles dias que prestava culto ao Deus verdadeiro.
b. Cornélio absorvera até mesmo alguns dos bons hábitos e costumes da religião dos judeus, como as orações em horas específicas, as esmolas e a instrução religiosa da família.
2. Orando às três da tarde e, quem sabe, refletindo sobre a salvação, Cornélio teve uma visão. Um anjo apresentou-se a ele, e lhe deu conta do agrado de Deus, em relação às suas boas obras, especialmente esmolas e orações.
a. Como a prática de oração e de esmolas não são suficientes para a salvação de uma alma, Cornélio foi instruído pelo anjo que mandasse buscar em Jope um homem de nome Pedro e este lhe daria a orientação de que necessitava para alcançar a salvação de Deus. A Palavra de Deus nos mostra esta verdade na carta de Paulo aos efésios, Ef 2.8-9, "8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie".
b. O que podemos observar nesta experiência é o fato de que Deus usa homens, para levar sua Palavra a outros homens. Embora o anjo pudesse falar palavras de salvação a Cornélio, este não era seu ministério. Quem anuncia a mensagem do Evangelho a um homem é outro homem, I Pe 1.12, "Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o Evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar".
3. Ao mesmo tempo em que Cornélio recebia a visão e a ordem para ir ao encontro de Pedro, Pedro também estava sendo preparado por Deus para esse encontro.
a. O fato de ter-se hospedado em casa de um curtidor indicava um progresso na libertação de preconceitos, At 9.43, "E ficou muitos dias em Jope, com um certo Simão curtidor".
b. O ofício de curtidor era profissão considerada imunda pelos judeus por causa do contato com sangue e cadáveres de animais. Por isso a casa ficava à beira-mar.
4. A verdade principal desta primeira verdade é a salvação pode ser buscada por qualquer pessoa, não importando sua raça, cor, posição social, sexo, etc.

II - PEDRO, MESMO SENDO UM JUDEU VAI PREGAR AOS GENTIOS, O QUE NOS MOSTRA QUE NA PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS NÃO DEVEMOS TER QUALQUER PRECONCEITO
At 10.9-17, "9 E no dia seguinte, indo eles seu caminho, e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, quase à hora sexta. 10 E tendo fome, quis comer; e, enquanto lho preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos, 11 E viu o céu aberto, e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, e vindo para a terra. 12 No qual havia de todos os animais quadrúpedes e répteis da terra, e aves do céu. 13 E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro, mata e come. 14 Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda. 15 E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou. 16 E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se ao céu. 17 E estando Pedro duvidando entre si acerca do que seria aquela visão que tinha visto, eis que os homens que foram enviados por Cornélio pararam à porta, perguntando pela casa de Simão".
1. Frank Stagg, no comentário "O Livro de Atos", chama a atenção para um fato interessante: Jonas fugira para Jope, afim de não pregar aos gentios, mas foi obrigado a fazê-lo. Muito tempo depois, Pedro, também em Jope, vê-se forçado a dar atenção a gentios.
a. A atividade missionária do movimento cristão progredia, a despeito das resistências humanas. Cornélio orava em Cesaréia, e Pedro orava em Jope, a uns 50 kms de distância. Cornélio envia dois servos ao encontro de Pedro, como uma cortesia pessoal. E com eles, por medida de segurança, vai um soldado.
b. No dia seguinte à visão, por volta do meio-dia, os enviados do centurião chegam a Jope. Enquanto isso, Deus fala a Pedro através de um êxtase, ou seja "um estado de contemplação intensa em que nada mais ocupa a atenção de alguém senão os motivos que o levam àquela situação".
2. Nesse estado de êxtase, Pedro vê descer um lençol com animais limpos e imundos, quadrúpedes, répteis da terra e aves. Uma voz manda que ele coma desses animais, mas Pedro recusa. Ele nunca comera coisa comum ou imunda.
a. Os judeus tinham listas de animais considerados imundos, dos quais não podiam alimentar-se. A voz replica: Não chames comum ou imundo àquilo que Deus purificou. Por três vezes se repete a cena, no propósito de impressionar profundamente a consciência de Pedro.
b. O êxtase acaba, e batem à porta. Pedro reflete, e entende a mensagem. Judeus e gentios são criaturas de Deus, pertencem a ele. Uns não são mais santos que outros. Não recuse aqueles a quem Deus também ama. Quanto à salvação, uns e outros têm direito à mensagem do Evangelho. Pedro toma sua decisão. O judeu vai à casa de gentios, pregar-lhe a Palavra.
3. Esta segunda verdade nos mostra que ao pregarmos a Palavra de Deus, não podemos fazer qualquer diferença, mas devemos anunciá-la a todos seres humanos, ou seja nas favelas, nos cortiços, nos bairros de classe média, nos bairros ricos, aos brancos, aos negros, aos amarelos, etc.

III - OS GENTIOS RECEBEM A SALVAÇÃO, O QUE DEMONSTRA A RECEPTIVIDADE DO HOMEM PECADOR AO QUAL A PALAVRA É PREGADA
At 10.44-48, "44 E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. 45 E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. 46 Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus. 47 Respondeu, então, Pedro: Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo? 48 E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias".
1. Após receber a visão de Deus e com a chegada dos mensageiros de Cornélio, no dia seguinte Pedro acompanha os mensageiros até Cesaréia, At 10.23-24, "23 Então, chamando-os para dentro, os recebeu em casa. E no dia seguinte foi Pedro com eles, e foram com ele alguns irmãos de Jope. 24 E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos".
a. Uma cena imprevisível aconteceu: O centurião romano ajoelha-se para adorar o pescador judeu, At 10.25, "E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou".
b. Tendo recebido a orientação por intermédio de um anjo, Cornélio pode ter pensado que o apóstolo fosse outro anjo. Pedro levanta o soldado, e não deixa de fazer sua ressalva, aparentemente até indelicada: Eu vim porque Deus mandou, já que normalmente judeus não se ajuntam a gentios, At 10.26-29, "26 Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem. 27 E, falando com ele, entrou, e achou muitos que ali se haviam ajuntado. 28 E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo. 29 Por isso, sendo chamado, vim sem contradizer. Pergunto, pois, por que razão mandastes chamar-me?"
2. A mensagem pregada por Pedro recapitula os grandes fatos do Evangelho: Jesus, sua obra entre os homens, sua morte e ressurreição, a responsabilidade dos crentes na proclamação, e a necessidade de fé em Jesus para remissão dos pecados.
At 10.34-43, "34 E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; 35 Mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo. 36 A palavra que ele enviou aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo (este é o Senhor de todos); 37 Esta palavra, vós bem sabeis, veio por toda a Judéia, começando pela Galiléia, depois do batismo que João pregou; 38 Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele. 39 E nós somos testemunhas de todas as coisas que fez, tanto na terra da Judéia como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num madeiro. 40 A este ressuscitou Deus ao terceiro dia, e fez que se manifestasse, 41 Não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus antes ordenara; a nós, que comemos e bebemos juntamente com ele, depois que ressuscitou dentre os mortos. 42 E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos. 43 A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome".
a. Nem é concluído o discurso de Pedro, e o Espírito desce de maneira especial sobre as pessoas presentes, e elas falam em línguas e glorificam a Deus. Esta experiência nos mostra que aquela gente se convertia naquele momento, e ao mesmo tempo recebia o Espírito.
b. O dom de línguas ali manifestado se explica como sendo um sinal "de que esses gentios individualmente haviam recebido a aprovação divina", conforme acentua T. C. Smith. A reação dos crentes judeus acompanhantes de Pedro comprova isso, Vs. 45-46, "45 E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. 46 Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus".
c. Se não houvesse algo de sobrenatural, esses judeus teriam talvez dificuldades para aceitar cristãos gentios em igualdade com cristãos judeus. Até o apóstolo se surpreende, mas entende que o mesmo Evangelho dado a judeus foi também dado a gentios.
3. Esta terceira verdade nos mostra a receptividade do homem pecador em relação à Palavra de Deus. Quando a Palavra é pregada com poder, produz resultados surpreendentes. O exemplo de T. L. Osborn, quando foi ser missionário na Índia sem qualquer resultado, e o seu retorno ao mesmo lugar 10 anos depois com resultados extraordinários.

CONCLUSÃO:
Alguns fatos relacionados com o Evangelho de Jesus Cristo podem ser destacados deste estudo como os que seguem:
1. O Evangelho e boas obras, Tuas orações e... esmolas têm subido para memória diante de Deus... agora manda chamar", Vs. 4-5. Paulo ensinava que recebemos a salvação pela graça, mediante a fé, como dom de Deus. O Senhor se agrada das boas obras, mas elas são insuficientes para a redenção dos pecados.
2. O Evangelho e a proclamação, "Manda chamar a Simão... Ele te dirá o que deves saber", Vs. 5-6. Assim como o Senhor mandou Ananias a Paulo, ele envia Pedro a Cornélio, porque cabe a homens e mulheres o ministério da pregação do Evangelho de Jesus Cristo à humanidade.
3. O Evangelho e as nações, "Não chames tu comum ao que Deus purificou", Vs. 15. Não temos o direito de discriminar ninguém quando se trata de entregar a mensagem do Salvador. Nenhuma gente merece mais do que outra. Ninguém é tão pecador e ímpio que deva ser excluído das preocupações missionárias e evangelizadoras.
4. O Evangelho e o Espírito Santo, "Este que, também como nós, receberam o Espírito", Vs. 47. O Espírito Santo opera para a salvação desde o testemunho do crente, passando pela ação de convencer o pecador, e vindo habitar o indivíduo desde quando acontecem a regeneração e a conversão.
5. O Evangelho inclui o batismo, "Mandou, pois, que fossem batizados", Vs. 48. O batismo não tem o poder regenerador, mas faz parte do Evangelho. Basta ver o mandamento de Jesus em Mt 28.19-20. Quem ama a Jesus, deseja obedecer em tudo, e participar da sua Igreja, submetendo-se ao batismo.
FONTE:http://falandoseriotv.spaceblog.com.br/319420/O-EVANGELHO-ALCANCA-OS-GENTIOS/

2 comentários:

Abraao Manoel disse... [Responder comentário]

Parabéns pelo seu blog, tanto pelo layout como pelas postagens. Eu coloquei um Blogroll no meu blog, e todas as pessoas que eu estou seguindo e que estiverem atualizando seu blog, aparecerão na página principal do meu blog, assim eu ajudo a divulgar o trabalho dos blogueiros. Sendo assim eu estou te seguindo, se gostar do meu blog é só me seguir também, abraços. meu blog: http://descansandoamente.blogspot.com/

PR MAURICIO BRITO disse... [Responder comentário]

ola nobre colega grato pela participação. Deus te abençoe e muito obrigada pelas palavras de incentivos.

Postar um comentário

Todo comentário deve seguir os critérios: estar relacionado ao assunto, ter identificação do comentarista e mesmo assim passa pelo nosso crivo daí decidiremos se devem ser publicados ou não.